Relato sobre manifestações em solidariedade ao Pinheirinho

Relato sobre manifestações em solidariedade ao Pinheirinho

em 24 jan

A forma violenta e inesperada com que ocorreu a desocupação do Pinheirinho fez com que diversas pessoas e movimentos sociais organizassem manifestações de apoio à comunidade em várias cidades do Brasil. Por Passa Palavra

A reintegração de posse da área ocupada pela comunidade Pinheiro no dia 22/01/2012 teve repercussão nacional, embora boa parte da mídia televisiva pouco tenha noticiado sobre o assunto.

A forma violenta e inesperada com que ocorreu a desocupação da área, contrariando a decisão da justiça federal, fez com que diversas pessoas e movimentos sociais organizassem manifestações de apoio à comunidade em várias cidades do Brasil.

Recebemos relatos referentes às manifestações que ocorreram em São Paulo, Belo Horizonte, Franca/SP e Brasília.

Os leitores que tiverem mais informações, por favor, nos enviem. À medida que recebermos mais relatos, iremos atualizando o artigo.

Brasília

bsb1

Cerca de 150 manifestantes saíram em passeata percorrendo a Praça dos Três Poderes para protestar contra a desocupação do Pinheirinho.

Realizaram atos em frente ao Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e Palácio do Planalto que exigiam a intervenção do governo federal a favor dos moradores expulsos do Pinheirinho.

Belo Horizonte

“Cerca de 150 pessoas se concentraram na tarde desta segunda-feira na Praça da Liberdade para marcar a presença de Belo Horizonte no ato nacional contra o brutal desalojamento das famílias do Pinheirinho. Dali se dirigiram em passeata até a sede estadual do PSDB onde, sobre o coro de “PSDB, que covardia, assassinando quem luta por moradia”, queimaram uma bandeira do partido. Fizeram uso da palavra representantes da CSP-CONLUTAS, MTST, PSTU, sindicatos e ativistas da luta por moradia na cidade.

Belo Horizonte deve especialmente aumentar seu clamor contra o ato conjunto do judiciário e governo paulista por ser palco de expressivas ocupações urbanas, como Dandara e Padre Camilo Torres, ameaçadas de desocupação iminente.”

Franca/SP

“Ô Pinheirinho
Vê se me escuta
Uma só classe
Uma só luta”

No dia 23 de Janeiro de 2012 às 17 horas foi realizado no Terminal de Ônibus Urbano de Franca-SP um ato em solidariedade aos moradores da comunidade Pinheirinho de São José dos Campos-SP. O ato foi organizado através das redes sociais no domingo, 22 de janeiro, dia em que a comunidade Pinheirinho foi invadida pela Tropa de Choque para a sua desapropriação.

francaApesar da presença de alguns membros de partidos e outras organizações políticas juntamente com suas bandeiras, o ato foi constituído, fundamentalmente, por pessoas não ligadas a estas instituições, principalmente por estudantes das universidades da cidade.

Cerca de 30 manifestantes se reuniram na praça em frente ao Terminal e discutiram a forma como ocorreria o ato. Apesar da chuva e da presença de poucas pessoas, o ato ganhou visibilidade devido ao grande número de trabalhadores e estudantes que circulam diariamente no principal terminal urbano da cidade (cerca de 150 mil).

O grupo caminhou pelas vias do terminal entoando gritos de ordem em apoio à ocupação de Pinheirinho e denunciando a ação do governo do estado de São Paulo e da polícia militar. Uma das organizações políticas escreveu um panfleto explicativo, o qual foi distribuído aos transeuntes do terminal.

A manifestação se encerrou na praça depois de uma avaliação do ato. O grupo marcou um novo ato ainda nesta semana para discutir além da desapropriação do Pinheirinho, outras pautas como as denúncias de má administração da empresa local de ônibus urbano São José, a ação dos militares na Cracolândia em São Paulo e as intervenções da polícia militar na USP.”

Curitiba

curitiba-1Diversos movimentos sociais, sindicatos e partidos políticos realizaram no fim da tarde de terça-feira, em Curitiba, ato em solidariedade ao povo do Pinheirinho de São José dos Campos – SP e de repúdio ao covarde massacre ordenado pelo governador Geraldo Alkimin e o prefeito Alexandre Cury, ambos do PSDB.

O Pinheirinho é pra lutar, a resistência nós vamos apoiar!” Essa foi à palavra de ordem que marcou o ato realizado na boca maldita, que reuniu diversos manifestantes mesmo sob forte chuva.

curitiba-2Nas falas os oradores se comprometeram em dar continuidade ao movimento de solidariedade aos homens, mulheres e crianças que foram brutalmente reprimidos pela polícia de Geraldo Alkimin. A denúncia de maus tratos, violência, truculência, ilegalidade e covardia que afetou, de maneira desumana, mães de família, crianças e deficientes foi ressaltada junto à população de Curitiba.

O dirigente do PSTU, Avanílson Araújo disse que “O governo do estado de São Paulo do PSDB sujou as mãos de sangue covardemente e isso merece nosso repúdio, mas nós também devemos exigir que o governo federal intervenha para barrar a desocupação imediatamente, uma vez que Alkimin descumpriu decisão do TRF”. A dirigente do PSTU, Mariane de Siqueira explicou que “o PSTU é solidário a luta do povo do Pinheirinho e fará todos os esforços para cercar de apoio homens, mulheres e crianças que estão sendo criminalizados porque lutam para ter o direito a um teto para criar suas famílias. Exigimos de Dilma a legalização da área e a punição de Alkimin e Cury imediatamente, caso contrário o governo federal será cumplice desse banho de sangue que envergonha o país”, finalizou.

curitiba-3No final do ato, Márcio Palmares, dirigente do Sinditest-PR propôs “a continuidade do movimento de apoio” e alertou “para a crescente criminalização dos movimentos sociais que tem ocorrido com o governo Dilma, isso ficou claro na luta dos bombeiros no Rio de Janeiro e com a prisão dos ativistas que protestaram contra OBAMA no ano passado.

Em Curitiba a luta vai continuar, os próximos passos serão decididos na reunião de amanhã. O objetivo é ampliar essa luta de modo a organizar amplo apoio à causa do Pinheirinho em São José dos Campos.

curitiba-4

curitiba-5

curitiba-6

curitiba-7

curitiba-8

curitiba-9

Goiânia

go1Hoje (26/01) foi realizado na Praça Cívica um ato em solidariedade aos moradores da comunidade do Pinheirinho. Cerca de 30 pessoas participaram da manifestação que foi organizada através das redes sociais da internet. O ato foi construído por pessoas ligadas ao Anonymous-GO e alguns independentes.

go2Durante a manifestação, cartazes foram levantados nos semáforos, e panfletos distribuídos para os transeuntes, carros e ônibus que passavam no local. Este panfleto procurava explicar a forma violenta com que ocorreu a reintegração de posse da comunidade do Pinheirinho e associá-la ao episódio local do Parque Oeste Industrial (Comunidade Sonho Real), que também sofreu uma desocupação violenta no ano de 2005.

go3

Florianópolis

foto-0358Convocado inicialmente através das redes sociais e chamado por diversas organizações, um ato em solidariedade ao Pinheirinho ocorreu no dia 26/01 em Florianópolis, com faixas, cartazes e a distribuição de um panfleto à população abordando o tema. A panfletagem, que contou com cerca de 40 pessoas, ocorreu no final da tarde, em frente ao Terminal do Centro (Ticen), local que concentra milhares de pessoas.

Veja aqui como ajudar e saiba de mobilizações que irão acontecer.


Comentários 2

    • Marks Sherydan

      |

      jan 26, 2012

      |

      Não adianta porque eu nao parei tem zilhões de sites na internet pra postar comentarios então
      Fora à ditadura do PT.
      Eu moro a 49 km de Brasília-DF e estou vendo tudo que esses Deputados safados estão fazendo e a convardia em pinheirinhos
      fecha aspas
      envie esse comentario para o SBT.

    • Marks Sherydan

      |

      jan 26, 2012

      |

      Seis vão mudar esse país Seis tão satisfeitos Seis não achão que pode ser bem melhor eh eh eh eh jovens brasileiros e de Pinheirinhos SP vamos pedir o Impitimam da Presidente Dilma Rousseff vai embora Dilma ninguém te aguenta mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email