Cordão da Mentira: de volta às ruas para lutar

Cordão da Mentira: de volta às ruas para lutar

em 21 set

O vídeo apresenta a proposta do Cordão da Mentira, que volta às ruas de São Paulo  com o tema “Quando vai acabar o genocídio popular?”. Por Passa Palavra

Thiago Mendonça, Selito SD e Silvio Carneiro falam das motivações que animaram a formação do Cordão da Mentira e os desafios que envolvem a tentativa de consolidar um espaço que, ao atuar com ênfase no campo simbólico, não se deixe levar pelos clichês ou pela abordagem instrumental com que a esquerda vem tratando a questão nos últimos tempos. Por outro lado, falam da necessidade de se traçar uma linha divisória que não permita que iniciativas como esta sejam confundidas com outras recentes, que, apesar de também bradarem pela urgência de tomada das ruas, não mantêm compromissos com as causas populares. Daí o lema deste segundo desfile: “As ruas são para lutar! E quem não luta dança.” A esse respeito, eles ainda descrevem um pouco como acontece o processo criativo, que vai  desde a escolha dos temas, as composições, as parcerias com coletivos que fazem uso de diferentes linguagens, os ensaios, até o trajeto do desfile.

 

Montado com imagens de Rafael Beverari e vídeos retirardo da internet de Caio Castor, Rafael Tsavkko e Kiwi Cia de Teatro.

O 2º Desfile do Cordão da Mentira acontecerá em São Paulo no dia 29 de setembro.

Concentração às 11h no Largo General Osório (ao lado da estação da Luz). Dispersão na Praça da Sé.

* * *

Veja também Samba em Homenagem às Mães de Maio.


Comentários 3

    • Tabita Abramo

      |

      set 22, 2012

      |

      Belo vídeo, de uma bela iniciativa.

      Enxergar as continuidades onde se diz haverem coisas díspares; o presente como um desdobramento do passado; o hoje que vem do ontem e anteontem.

      E amanhã?

      Quando irá acabar o genocídio popular?…

    • |

      set 23, 2012

      |

      só qua ndo acabar com essas mentiras .

    • Curioso

      |

      set 24, 2012

      |

      Interessante trabalho e curiosa apresentação masculina… não será também isso um clichês da esquerda? a mesma ´´vanguarda intelectual´´ de sempre… tou pensando se tem sentido essa minha afirmação…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email