Cerca de 120 pessoas, entre assentados e apoiadores do Assentamento Milton Santos, ocuparam o Incra em São Paulo. Por Passa Palavra

Cerca de 120 pessoas, entre assentados e apoiadores do Assentamento Milton Santos, ocuparam um pouco depois das 4 horas da manhã do dia 15 de janeiro o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agraria) na Rua Doutor Brasílio Machado, 203, Santa Cecília, na região central de São Paulo. Foram estendidas lonas e faixas na entrada do prédio e os funcionários que chegavam para trabalhar estavam sendo dispensados. Perto das 8h começaram a chegar os primeiros funcionários do corpo técnico do Incra, que também foram impedidos de entrar.

Os assentados já estenderam seus colchões e pertences em um andar do prédio.

Já há seis meses as famílias estão convivendo com a insegurança, diante da ameaça de perderem suas casas e, ao contrário do que aconteceu em outros momentos, desta vez a posição dos manifestantes é manter-se em ocupação até que a presidenta Dilma assine o decreto de desapropriação.

Também acompanham a ocupação alguns representantes do acampamento Luiz Gustavo, situado na região de Colômbia, próximo a Barretos. Eles exigem que o Incra acelere o processo de indenização do terreno, sob o risco de 110 famílias serem desalojadas nos próximos dias.

Atualizações

As circunstâncias da ação de hoje

A ação de hoje acontece como tentativa de estabelecer um canal de pressão mais direto sobre o governo federal.

Apesar de o Incra vir sofrendo um processo de enfraquecimento de suas funções, a própria mudança de orientação na prática de reforma agrária do governo coloca este órgão no centro das atenções.

*

A ocupação do prédio mantem-se total por prazo indeterminado. Substituindo a sua atividade ordinária, outras estão sendo pensadas com o intuito de estreitar os laços com outras organizações e parceiros na cidade de São Paulo. A idéia é abordar a questão do Assentamento Milton Santos dentro de um contexto mais amplo, vivenciado por outras experiências de luta social, marcado pelo avanço das formas de expropriação da classe trabalhadora.

*

Enquanto isso, em Americana…

Enquanto no prédio do Incra nenhum responsável apareceu para estabelecer um contato oficial com os manifestantes, coisas importantes aconteceram no Assentamento.

O prefeito de Americana esteve no local para dialogar sobre possíveis soluções. Chegou a oferecer propostas reparativas para as famílias, como alojamentos provisórios ou subsídios, mas que foram prontamente rechaçadas por elas. Neste diálogo chegou a ser cogitada a possibilidade de a Prefeitura executar a desapropriação, desde que tivesse dinheiro em caixa para cobrir a idenização, o que recolocaria o problema no colo do governo federal.

*

Por fim, é importante ressaltar que hoje a notificação chegou no Assentamento pela parte da manhã, de forma a não deixar nenhuma dúvida de que o prazo está correndo. Ao mesmo tempo, espera-se o resultado do julgamento do embargo da liminar pedido pelo INSS. Era essa a última desculpa sustentada pelo governo federal para executar a desapropriação, visto que em todos os espaços de negociação ele alegou que faria uso deste instrumento tão logo se esgotassem os recursos jurídicos.

Mas até o momento não há informações sobre esta questão.

Sobre o Assentamento Milton Santos leia mais aquiaquiaqui e aqui.

Leia aqui outro artigo.

Leia aqui o apelo de solidariedade às famílias do acampamento.

Fotos Passa Palavra

3 COMENTÁRIOS

  1. Apoio do sind. Metalurgico de Santos, estamos divulgando e pedindo que companheiros ajudem na ocupação.

  2. Limeira 15 de janeiro de 2013

    lendo esta publicação, o que tenho a dizer é que nossa presidente Dilma, assine , em favos dos assentado que consiga embargar esta liminar, pq como eles vão fazer vão morar novamente em baixo de lonas? Ali não tem vagabundo não ali tem trabalhador ,meu pai não descansa, para ajudar com sua apicultura agora por um descaso, isto é um descaso, com eles deixaram chegar neste ponto! espero q de td certo.

  3. acho que os nossos governantes deveria olhar para a classe que realmente e a locomotiva deste pais.
    sendo assim mais observador dos que o cercam.
    pois enquanto prefeitos que nao foram reelitos deixam as suas prefeituras em miserias e nada fazem para o bem da populacao .
    o governo federal segue de brecos dados com estes e quer desapropriar das suas proprias terras trabalhadores honr
    ados,pais de familias,que acordam cedo para buscar o sustento de sua familia para com isso beneficiar meia duzia de fazendeiros inescrupulosos exploradores de mao de obra .
    chega a ser repugnante a posicao da presidenta Dilma .
    EU SOU TOTALMENTE CONTRA A DESAPROPIACAO DO MILTON SANTOS.
    Quero deixar aqui o meu protesto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here