LITERATURA – Soneto Revolta ao Cubo

LITERATURA – Soneto Revolta ao Cubo

em 30 set

Pra deixar com ‘sangue no zóio’/Aqueles da classe mais baixa. Por Marcelo Mazzoni

malevich-suprematism-1-1915O poeta subiu na caixa
Para bradar rimas de ódio
Pra deixar com ‘sangue no zóio’
Aqueles da classe mais baixa

Os sussurros secos do centro
Multiplicados por mil transeuntes
Tornavam as rimas transparentes
“A política, do vil, tornou-se antro

Resistir, resistir e resistir,”
Rimas que ecoavam no abismo
Sombrias ondas sonoras, a partir;

Nem a caixa deu-se a resistir
Ao chão jogou todo lirismo,
Que sobre risos pôs-se a fugir.

A imagem que ilustra o soneto é de Kasimir Malevich.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email