Fundamentalismo festivo

Diante de um convite para uma confraternização, perguntou: “Pode fumar maconha?” Diante da negativa, retrucou: “Desculpe, sou antiproibicionista, só vou onde pode fumar maconha. Fica para a próxima. Beijos!”. Passa Palavra

Uma resposta para “Fundamentalismo festivo”

  1. BONS E VELHOS AMIGOS:
    Casal de dipsômanos, carinhosamente autoapodados Pingu & Manguá, solidarizam-se. Também gostam da diamba ou ganja, além do álcool forte – por supuesto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *