Grandes esperanças (4)

Grandes esperanças (4)

em 21 out

“Tõ nem aí!”, disse a senhora num dos assentos preferenciais do ônibus ao conversar com outra senhora sobre política: “Nunca ninguém quis saber de mim! Agora querem que eu vá atrás de conversa de que o governo está fazendo mal pra todo mundo! Vai ficar todo mundo igual eu fiquei só para ver como é que é!” Passa Palavra


Comentários 1

    • ulisses

      |

      out 21, 2017

      |

      FRACASSANDO PIOR
      Não está – aliás, nunca esteve – nem aí. Essa versão feminina do Zé Ninguém (de Wilhelm Reich) sempre foi adepta do niilismo de resultados. Coerentemente nula, entre sempre e nunca: codinomes Sunca&Nempre. Perdeu a vida (não por delicadeza…), mas não apreendeu nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email