Açougueiros franceses procuraram o governo solicitando proteção policial após serem atacados por coletivos de militantes veganos. Sete “boucheries” foram vandalizadas, suas vidraças danificadas e suas fachadas pichadas com a frase “pare o especismo”. O governo francês, seguindo a tendência atual de criminalização de qualquer luta, já havia condenado um militante da mesma causa pelo crime de “apologia ao terrorismo”, por enviar “mensagem injuriosa” contra um açougueiro assassinado… em um ataque terrorista. Passa Palavra

3 COMENTÁRIOS

  1. Hoje as boas almas vegetarianas e vegans, cheias de compaixão pelos bovinos e outros quadrúpedes, atacam açougues e aplaudem o assassinato de um açougueiro às mãos de um terrorista islâmico. Entretanto, nos países onde conseguiram uma representação parlamentar, apresentam propostas destinadas a incluir na lei a promoção do vegetarianismo. Amanhã hão-de querer proibir-me de comer bife. E depois de amanhã hão-de tentar matar-me porque, apesar de tudo, eu insisto em comer bife. Não é que isto me espante. Nunca considerei os vegetarianos, muito menos os vegans, como especialmente angélicos. O Partido Nacional-Socialista alemão foi o movimento político que maior percentagem de vegetarianos reuniu e o Terceiro Reich foi o primeiro regime a aplicar sistematicamente a ecologia e a promover a agricultura orgânica. Apesar disto os nacionais-socialistas não deixaram boa memória, embora nestas questões haja muito mais gente a esforçar-se por esquecer do que a pretender lembrar. Hoje leio uma notícia curiosa. «Patético é defenderem uma criança que prefere matar um animal, oxalá que o Adrián mate a sua mãe e que ele morra»:
    https://www.dn.pt/mundo/interior/tribunal-acusa-tres-espanhois-por-desejarem-a-morte-a-crianca-com-cancro-no-twitter–9688038.html

    Aos nacionalismos e aos conflitos entre nações somaram-se os identitarismos e as rivalidades identitárias. Faltavam aqueles, para animar a festa.

  2. Creio que a sociedade do capital é, mais do nunca, a sociedade do capital…

    Acharia muito interessante os grupos veganos fazerem um trabalho de “CONSCIENTIZAÇÃO” sobre o sofrimento e a exploração do animal “humano” – a classe trabalhadora – com a mesma dedicação com que fazem sobre o sofrimento e exploração animal. Aliás, é muito interessante ver a origem deste veganos…

    Um dia deste estava na rua e um grupo vegano veio me “conscientizar”. Fiquei sabendo que todos eles eram comerciantes e empresários, que não comiam “NADA” de origem animal… mas a mais-valia que eles obtinham, será que eles retiravam de bananas, cenouras ou chuchu? Aliás, nas “lajes” da região onde moro, a preferência da grelha continua sendo boi, vaca, linguiça… ainda que, vejam só, os anarcos, ou mellhor (x)s anarc(x)s, venham tentando implantar tofu, berinjela e, principalmente, abobrinha… e, pelo paladar, os veganos acabam falando a mesma língua…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here