Das voltas que a vida dá (1)

Lutadores, lutaram. Ao lutar, viram nele a encarnação de seus princípios, apesar de sua fama de zigue-zagues. Seguiram-no. Polemizaram, romperam relações, brigaram, mataram, tudo em seu nome, mesmo quando suas ações lhes pareciam as mais duras. Na luta final, confrontaram adversários fortes como o aço. Derrotados, dispersos, perseguidos, alguns tentaram ainda resistir, muitos foram mortos, outros tantos presos, mas ele conseguiu escapar. Ficaram para trás e, enquanto combatiam o frio, a fome, a doença e os ratos por detrás das grades de suas celas imundas, viam, impotentes e perplexos, seus adversários implementarem suas propostas como se algum dia houvessem sido eles a formulá-las. Passa Palavra

Direita e esquerda

Lá no trabalho, ele era considerado um cara “de direita”. Mais velho e da área de exatas, não concordava com amor livre, vegetarianismo e outros costumes que a maior parte dos colegas tinha. A maioria da equipe se considerava “de esquerda”. Aí um dia o chefe chegou e avisou: esse ano não vai ter recesso, vocês vão ter que trabalhar direto. Todo mundo ficou puto. Vamos tentar fazer alguma coisa? “Ah, não vai adiantar nada”, disse a colega feminista. “Só íamos arranjar problema”, emendou o vegetariano. Aí o cara “de direita” sugeriu: “Eu fico pensando, nessas horas, que a gente tinha que fazer igual os motoristas de ônibus. Não vai ter recesso, então é greve. Você não vê que quando os caras fazem funciona?” Passa Palavra