Mudança de procedimentos

Com a mudança de procedimento da PM no Espírito Santo – que, segundo o Subtenente Lauzenei, “não está aqui para furar movimento nenhum” –, foi resolvido o problema da repressão policial aos movimentos sociais. Em dia de ato, é só juntar meia dúzia de senhoras em frente aos portões do quartel da Tropa de Choque. Passa Palavra

Fundamentalismo festivo

Diante de um convite para uma confraternização, perguntou: “Pode fumar maconha?” Diante da negativa, retrucou: “Desculpe, sou antiproibicionista, só vou onde pode fumar maconha. Fica para a próxima. Beijos!”. Passa Palavra

Ecorracismo

Decolou negro e aterrissou árabe. E sem falar uma única palavra da sua nova identidade, descobriu-se rebaixado no campeonato das opressões. Certo dia, já na pele de novo mouro, fazia compras em um supermercado de um bairro multicultural quando percebeu-se seguido por um segurança de ascendência africana: “Algum problema?”, perguntou educadamente como manda a etiqueta local. E a resposta foi imediata: “ah, sim, você deveria pegar os produtos bio (forte acento no ‘o’), sem agrotóxico”. Axélino

A ressaca de junho ou: como não debater tática e estratégia

Há quem aposte na auto-organização da classe trabalhadora quase como um mantra, embora pouco explique como ela se daria de modo diferente daquela organização “naturalmente” imposta pelos capitalistas. Por outro lado, há os que dizem apostar numa tal auto-organização, mas que na prática tratam a classe trabalhadora como uma “massa” a ser tutelada – quando não a tratam como um “povo” a ser “criado”. São posturas extremas, entre as quais há vários matizes. Por Manolo

Continue lendo “A ressaca de junho ou: como não debater tática e estratégia”