Rumo à tarifa impossível

Rumo à tarifa impossível

em 29 dez

Anunciado para o dia 5 de janeiro o aumento do ônibus em São Paulo para R$ 3,00. Por Passa Palavra

phpsstiqp-300xO prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, confirmou nesta terça-feira, dia 28/12, o aumento da passagem de ônibus dos atuais R$ 2,70 para R$ 3,00, entrando em vigor no dia 5 de janeiro. O aumento, de 11%, é o  quarto desde de 2005, totalizando 76%, enquanto os diversos índices de inflação oscilaram em torno dos 30%.

O aumento começou a ser debatido abertamente no final de setembro, quando foi enviada para a Câmara de Vereadores a proposta de orçamento para 2011, que previa o aumento para R$ 2,90. Nesta mesma proposta de orçamento pudemos observar uma arrecadação recorde na cidade de R$ 34,6 bilhões, demonstrando que o aumento de tarifas ocorre não pela falta de recursos mas por uma opção política do poder público.

Vale destacar a ligação dos irmãos Kassab com o empresariado do transporte coletivo. Pedro Kassab é um dos sócios da IPK Engenharia, empresa especialista em cálculo tarifário, que há mais de 15 anos presta consultoria aos empresários do setor, além de ter sido ele próprio consultor do SPURBANUSS (Sindicato patronal). Já o outro irmão, Marcos Kassab, atuou na expansão do metrô, foi diretor da EMTU (Empresa Metropolitana de Transporte Urbano), acessor da presidência da SPTrans (empresa municipal que gerencia o setor), além de realizar palestras sobre o cálculo tarifário em transporte coletivo.

phpdbzo19-300xCom o ônibus a três reais, o trabalhador que depende do transporte coletivo gastará ao menos 120 reais por mês, isto se ele não utilizar o trem e o metrô, não tiver filhos e usar o transporte apenas para trabalhar. Ainda assim, é mais de 1/5 do salário mínimo. Um valor elevado como este evidencia uma perversidade da lógica do sistema de transporte atual, pois promove a retirada dos usuários que não têm condições de pagar a tarifa (já são 37 milhões no Brasil) e daqueles que consideram melhor pagar as 72 parcelas de 120 reais em uma motocicleta – talvez seja esta a proposta de solução para resolver a superlotação.

Já que o transporte é inteiramente custeado pelos usuários, os gastos sobem todo ano, as taxas de lucro dos empresários não podem diminuir, e o poder público não encara o transporte como direito, em breve chegaremos a uma tarifa impossível.

4_aberturadeportas02 Como tem alertado o Movimento Passe Livre (MPL), enquanto a lógica do transporte coletivo não for alterada os aumentos continuarão a acontecer, uma vez que o transporte é organizado apenas para garantir a ida ao trabalho e a manutenção do lucro dos donos das empresa de ônibus e não de acordo com o interesse da população. A mudança desta lógica depende da participação ativa da população. Neste sentido o MPL está a convocando para o dia 13/01/2011 a terceira manifestação contra ao aumento, às 17h, em frente ao Teatro Municipal.


Comentários 7

    • alex

      |

      dez 29, 2010

      |

      Este aumento coloca a tarifa de São Paulo como a mais cara do Brasil, entre as cidades com mais de 500 mil habitantes, e a elevação de 11,11% na passagem é mais que o dobro da inflação no período. E se formos considerar os subsídios milionários, então temos uma tarifa de transporte ainda mais absurda.

    • Giancarlo

      |

      dez 29, 2010

      |

      Enquanto vocês não considerarem o dinheiro que as empresas de ônibus têm que pagar aos poderes públicos (por fora, claro), a conta numa fechará!
      Vocês reclamam de tudo! Quem vai alimentar a família e os gastos com helicóptero, carros importados, mansões, dos empresários?
      Toda cidade tem máfia dos transportes, na maior cidade do país isso seria diferente?

    • Cacau

      |

      dez 30, 2010

      |

      Transporte público ruim por um preço absurdo. Já peguei ônibus cheio de baratas, indo pra Angélica. Tem ônibus que só passa a cada meia hora e em pouquíssimos horários se consegue ir sentado.
      Os ônibus vem lotados, quentes, terríveis. Eu, que tenho pressão baixa, já passei mal algumas vezes…

      Por 3 reais a passagem o trabalhador deveria ir sempre sentado, num ônibus limpo, com boa ventilação, que passasse de 5 em 5 minutos e, ainda, com bancos bastante confortáveis.

      Transporte público é direito. Transporte público de qualidade, principalmente.

    • Valentim

      |

      dez 31, 2010

      |

      Pessoal de São Paulo: se o aumento está previsto para esta quarta-feira, dia 5, a manifestação contra o aumento será na quinta-feira, dia 13, da outra semana? Não vai dar em nada a manifestação! Vocês devem decidir!

    • Jocarla

      |

      jan 5, 2011

      |

      Olá! Normalmente as manifestações se resume em desfile pelas ruas de São Paulo e nunca dão em nada. Existe um estabelecimento específico responsável pela divulgação e organização deste protesto? Quem? Como essas pessoas (Nós) nos faremos ouvir?Existe um abaixo-assinado na internet, todos estão cientes? Existe alguma relação do proponente do abaixo com o protesto? Seriam muito bom se andassemos de mão dadas. Sem organização vira carnaval igual a muitos outros protestos contra o aumento da tarifa que não deram em nada. Estou disposta a fazer algo, mas precisamos de direcionamento. Precisamos chegar nos trabalhadores que pegam ônibus todos os dias, nos patrões e não só divulgar para o pessoal (pouco) que sempre participam de manifestos.
      Precisamos ir para a frente da Prefeitura e da Câmara!!!!
      Também desejo saber o motivo pelo qual foi escolhido o dia 13,pois acredito que dia 10 já muita gente tenha voltado para São Paulo.
      Segue link com o abaixo-assinado:

      http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoVer.aspx?pi=P2010N4907
      Obrigada!

    • |

      jan 6, 2011

      |

      Olá Jocarla e Valentim,
      Quem está organizando esta manifestação(e as duas outras anteriores) é o Movimento Passe Livre, do qual faço parte.
      Procuramos divulgar amplamente estas manifestações tanto por meios físicos (panfletagens, atividades em escola, intervenções em terminais) quanto por meios virtuais (listas de e-mails, facebook, sites). Apesar de não termos feito este abaixo assinado virtual já estamos em contato com a pessoa que organizou ele.
      As manifestações contra o aumento começaram, como já foi escrito aqui, antes do aumento e vão continuar depois, as cidades que conseguiram reverter o aumento o fizeram depois de uma luta extensa que não se resume ao dia do aumento. Optamos pelo dia 13 porque considermos que mesmo que muitos voltem dia 10 as manifestações no início da semana contam com pouco tempo de divulgação prévia.
      De fato precisamos pressionar o poder público nas suas mais diversas esferas, mas é só com a força da mobilização popular que sito tem sentido. Precisamos de mais gente participando, convocando pessoas no trabalho, na escola, no bairro.

    • Astolfo Jr

      |

      jan 7, 2011

      |

      E aqui em Floripa já começam a anunciar outro aumento, agora para algo próximo de R$ 3,12. Parece que os gestores da ilha não querem mais ficar atrás dos de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email