FLAGRANTES DELITOS

“Seremos resistência”? (2)

Nos países ocupados por tropas da Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial, a morte rondava os resistentes, e a Gestapo era seu arauto. Os holandeses da Frente Marx-Lenin-Luxemburg (FMLL), entretanto, pensavam diferente. A FMLL não escolhia ideologia, e dentro dela militaram leninistas, marxistas ortodoxos, comunistas de conselhos e anarquistas. Mesmo sob a ocupação alemã, a FMLL recusou-se a fazer agitação puramente antifascista, combatendo simultaneamente a ocupação e a burguesia local; chegaram a fazer propaganda entre soldados alemães, conclamando-os a unir-se aos holandeses para derrubar a burguesia holandesa, inglesa e alemã ao mesmo tempo. A FMLL apoiou ativamente a greve holandesa de fevereiro de 1941, e por isto foi perseguida até a extinção. Um de seus militantes mais destacados, Henk Sneevliet, foi indômito ao paredão: sem venda, cantava a Internacional e encarava seus executores ao ser fuzilado. Passa Palavra

CARTOONS - PP.TV

O ANZOL (75)

BRASIL

“Unidade de ação” com o oportunismo só conduz ao fracasso

O caminho vitorioso do proletariado é o da escolha do caminho da luta e não o da conciliação no pântano dos lugarzinhos do parlamento, entidades sindicais pelegas e do Estado. Por José R. da Silva Maramonhanga

MUNDO

Relatos da Fábrica 9: decodificando o “trabalho a curto prazo”

O desejo dos trabalhadores por maiores salários e melhores condições de trabalho, e o desejo dos chefes em economizar em custos trabalhistas, mostram claramente uma contradição inconciliável. Por Wang Xiaolin

ARTES

O sonho no meio do pesadelo

O sonho da liberdade e da independência que esses trabalhadores buscam na labuta ininterrupta. Não ter patrão, ditar seu próprio tempo. Por Victor Hugo Viegas Silva

ACHADOS & PERDIDOS

Reabertura da biblioteca do CEAS em Salvador

Por Manoel Nascimento Foi com alegria que descobri que a biblioteca do Centro de Estudos e Ação Social (CEAS), em Salvador, está novamente aberta ao...

IDEIAS & DEBATES

As Consequências das Relações Sociais de Produção na Produtividade e na...

Quanto mais fortes forem os trabalhadores no chão de fábrica, menor será a intensidade do trabalho e a taxa de acidentes. Por Leon Grunberg

MOVIMENTOS EM LUTA

17 de Nov. 2019 (Grécia): “Um gosto de sangue na boca”

Nessa noite, a rebelde Exarcheia tem um gosto de sangue na boca, imóvel e silenciosa na escuridão, mas ela ainda está viva. Por Yannis Youlountas

AUTORAIS

Racismo negro antinegro na África

O racismo é instrumento estimulado pelos capitalistas para mobilizar certos grupos de trabalhadores contra os outros, para que sua exploração comum passe despercebida. Por Passa Palavra

TRADUÇÕES

Classe / identités

Aujourd’hui, alors que s’ouvre un nouveau cycle de luttes, à partir de son niveau le plus bas, il est indispensable de distinguer entre la politique de classe et la politique des identités, sans envisager la possibilité d’une alliance entre elles. Par João Bernardo

MAIS LIDOS

Pacto de Mediocridade: a guerra subterrânea dos trabalhadores da Livraria Cultura...

Eles colocaram o pior gerente que eles podiam colocar, o mais maldito, o mais filha da puta pra gerenciar a loja. E aí ok, a gente não ia deixar barato também! A gente começou a bolar jeitos de provocar esse gerente, de provocar o pessoal da gestão, enfim, era a única coisa que a gente podia fazer.

CIDADES

Lugar(es) de fala e multiescalaridade

Uma das dimensões emancipatórias mais cruciais que vão tombando e correm o risco de sucumbir de vez é a do universalismo, e junto com ela também uma outra, a da solidariedade entre diferentes. Por Marcelo Lopes de Souza

PONTO COM NÓS

A tempestade, o anjo e a mulher

Impulso presente na dança que dança ao dançar o seu caminho — agora mesmo, a cada instante, sempre agora. Por Miguel Serras Pereira

DIABO DA ECONOMIA

O edifício mal-assombrado de Bretton Woods

O descolamento entre crise e crítica é o sintoma de que a única imagem possível do futuro parece ser a promessa de uma nova crise. Por Raquel Azevedo

CUIDADOS DIGITAIS

O elo mais fraco da autodefesa digital

A imensa maioria dos casos de hackeamento e invasão de privacidade ocorre não por conta de um suposto poder inescapável dessas armas tecnológicas, e sim por um erro cometido pelo usuário final. Por 01010001