Flagrantes Delitos

Início Flagrantes Delitos
Flagrantes Delitos

#SejaOriginal

Ao atualizar a caixa de e-mail, constatou ter recebido mais uma mensagem de seu sindicato. Não era o convite para uma assembleia, ou mesmo...

A esperança

Já com suor seco tomou rumo atrás de um remédio que deveria pegar na clínica da família somente mediante autorização de um médico no...

O discreto charme da burocracia

O partido ganhou a direção do sindicato e levou uma parte da sua juventude local para a burocracia do sindicato. Uma gente jovem, recém-formada e quase todos desempregados, transformados em assessores políticos do sindicato — era o espaço que restava na estrutura —, logo após saírem do movimento estudantil universitário. Quando estudantes, diziam todos estar prontos para morrer por uma luta, uma revolução. Meses depois, era fácil perceber que o que mais agradava a turma eram as passagens de avião, o vale-refeicão e o celular com conta paga pelo sindicato. Passa Palavra.

Muita democracia

Duas funcionárias terceirizadas da limpeza de uma estação do Metrô conversavam sobre as dificuldades de comprar a casa própria. Diante da descrença da mais...

Caninos

O Deutsche Welle noticiou a seguinte situação: duas mulheres, cada uma passeando com o seu cão, entraram em luta corporal quando uma delas foi...

Plantio à distância

Ao final de uma reunião, uma servidora aproveitou para puxar outro assunto e cobrou do diretor se já está sendo providenciado o plantio das árvores do novo campus. Ele disse que sim, faltaria apenas um planejamento, mas que inclusive algumas professoras amigas da natureza já até doaram várias mudas de plantas para o novo paisagismo. O diretor perguntou então ao gerente se era possível disponibilizar trabalhadores terceirizados para o plantio das mudas, e a resposta foi positiva. Em tempos de home office nem as ecologistas querem pôr as mãos na terra. Passa Palavra

Festividade seletiva

— “Desprezo o capitalismo, portanto o Natal”. Ouviu essa afirmação de seu colega, chocado, pois onde vive os capitalistas e os operários trocam abraços, não necessariamente entre si, nas grandes folias que ocorrem meses depois, no Carnaval. Passa Palavra

Medidas extremas

Um grupo de autonomistas adeptos da tática “Black Bloc” lamentava o fato de uma manifestação de rua ocorrida no centro da cidade não ter...

Faltou alguém

Em 2012 um site de notícias mencionava uma reunião de Dilma Rousseff com 28 dos maiores empresários brasileiros, para pedir mais investimentos e ouvi-los sobre suas demandas e as reivindicações das centrais sindicais. Um dos comentadores escreveu: “faltaram aqueles traficantes que investem milhões em drogas, que são compradas de outro país. Precisa passar a comprar aqui, assim gera empregos e cresce a economia!” Passa Palavra

Adversária peso pesado

A avó, com 91 anos e Alzheimer, e o neto, com 40 e anticapitalista, assistiam ao jornal onde, numa bancada de comentaristas, discutiam-se os prováveis debates da provável eleição para presidente do Brasil em 2022. Foi quando ela soltou a seguinte frase: “A democracia não pode ir ao debate.” O neto riu e concordou com a avó, pois sempre que ela aparece em qualquer debate, pensava ele, é raro outra posição sair vitoriosa. Passa Palavra

O doido da cidade

Toda cidadezinha do interior do Brasil tem pelo menos um doido que é conhecido por todos. Quase sempre é uma figura folclórica, cercada de histórias engraçadas, inusitadas, surpreendentes. Esses dias eu aguardava numa longa fila de vacinação contra a Covid e o doido mais famoso da cidade a percorria de ponta a ponta, em alto e bom som ele nos dizia o seguinte: “O povo não vê que é a vacina que está matando tanta gente? O povo é burro!” Passa Palavra

A cidade fantasma

Acostumado a andar pelo bairro e ver praças ocupadas por famílias se exercitando enquanto vigiam suas crianças brincando, Bernardo volta para o Rio de Janeiro decepcionado com esses espaços mal cuidados, pouco ou mal frequentados e as ruas esburacadas. Já nas vias centrais, multiplicaram-se as bikes do Itaú e as Smart Fits. Passa Palavra