recebido do Comitê Liberdade e Justiça para Atenco

[email protected] [email protected]:

Enviamos saudações cordiais e queremos lhes pedir um favor.

Nos próximos dias, nos aproximamos a comemoração da repressão do 3 e 4 de Maio em San Salvador Atenco, desejamos publicar um manifesto que leve assinaturas de pessoas, grupos e coletivos nacionais e internacionais em desacordo com o encarceramento dos presos de Atenco.

Por isso lhes pedimos que por favor o promovam com outras organizações e coletivos próximos que possam unir-se a este esforço.

As assinaturas se receberão no correio eletrônico: [email protected]

Até as 12h da manhã da quarta-feira, 29 de abril (horário mexicano. Lhes pedimos indicar-nos o nome completo da organização ou coletivo que desejam que apareça publicado, bem como seu lugar de origem.

Pedimo-lhes também, que marquem cópia a quem promova desde sua própria direção eletrônica este texto.

Muito obrigado e enviamos saudações afetuosas,

COMITE LIBERDADE E JUSTIÇA PARA ATENCO

Nos dias 3 e 4 de maio de 2006, um operativo policial comandado pelo Governo Federal, o Governo do Estado do México e o municipal de Texcoco, contra integrantes da Frente dos Povos em Defesa da Terra (FPDT)que apoiavam a defesa ao direito ao trabalho de floristas locais, provocou um dos episódios repressivos mais violentos na história do México.

O operativo governamental deixou um saldo de 207 detidos, dois jovens assassinados, meia centena de mulheres violadas e abusadas sexualmente, torturas e prisões ilegais. Desde então, se tem acumulado irregularidades jurídicas escandalosas que mantém o caráter na prisão 12 presos políticos com condenações tão injustas como a imposta a Ignácio Del Valle por 112 anos de prisão, a Felipe Álvarez e Héctor Galindo por 67 anos; e outras 9 pessoas (Oscar Pacheco, Alejandro Pilón, Julio Espinosa, Juan Carlos Estrada, Jorge Ordóñez, Adán Ordóñez, Narciso Arellano, Inés Rodolfo Cuellar e Eduardo Morales) que foram sentenciados a 31 anos, 11 meses e 15 dias de prisão. Cabe mencionar que América Del Valle e Adán Espinosa Rojas, se encontram em condição perseguidos e que 52 pessoas seguem em processo, ainda que em liberdade.

As irregularidades dos processos penais evidenciam que estamos ante um assunto político cujo objetivo é reprimir a um dos povos que dignamente tem defendido sua terra, seus recursos naturais e suas tradições. Preocupa, além disso, que a repressão contra a FPDT, seja um caso emblemático em um contexto de repressão generalizada contra as organizações e movimentos que exercem seu direito a crítica, a manifestação e a resistência contra políticas governamentais. É por isso, que @s abaixo assinantes, de diversas nações, organizações, movimentos, ofícios, artes e profissões exigimos as autoridades mexicanas:

LIBERDADE aos 12 presos políticos de Atenco

Cancelamento das ordens de apreensão aos 2 perseguidos

Renovação e anulação das sentenças

Respeito irrestrito dos Direitos Humanos e dos detidos e [email protected]

Punição aos responsáveis das violações aos direitos humanos

Fim da criminalização contra os movimentos sociais no México

http://www.atencolibertadyjusticia.com

3 de maio. Ato político cultural em San Salvador Atenco. 11h.

4 de maio. Mobilização do Angel de la Independencia a Secretaría de Gobernación. 16h. Cidade do México

Leia matéria do Passa Palavra sobre Atenco: http://passapalavra.info/?p=1911

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here