Por Auxiliar Invisível

Então, o que você faz mesmo? Relato de uma auxiliar de atividades da educação municipal de Goiânia

Vocês sabem o que um Auxiliar de Atividades Educativas é ou o que faz? Tudo bem. A própria Secretaria Municipal de Educação (nossa querida SME) não sabe dizer ao certo, na verdade, nem lidar conosco ela sabe. São vários casos de problemas de saúde, físicos e/ou mentais, por conta do trabalho puxado, do tratamento diferenciado (para o mal) dentro das instituições – CMEI’s, CEI’s, Escolas, da falta de organização da SME ao lotar funcionários em instituições e depois avisar que essas pessoas estão excedentes várias e várias vezes e, quando questionada, simplesmente diz que temos que “aceitar” (aos berros) pois a vida é assim, cheia de aprendizados.

Pois bem, a vida é feita de injustiças? Sim. Temos que aceitar? Não. Não temos que aceitar ser ignorados pelos pais/familiares das crianças na entrada ou saída das instituições. Não temos que aceitar ser feitos de tapa-buraco quando a professora falta. Não temos que aceitar ser quebra-galhos quando outros funcionários faltam. SME e seus representantes dentro das escolas, CEIs e CMEIs têm que entender que quando fazemos algo que não está dentro das nossas atribuições estamos fazendo um favor e, como tal, podemos nos recusar. Ser educado, prestativo, pensar no coletivo, não nos torna TROUXAS.

A/o Auxiliar, também conhecido por outros nomes, é quem: “Auxilia professores nas atividades voltadas para o desenvolvimento integral das crianças e/ou educandos, responsabilizando-se pelo: cuidado com a alimentação, descanso e higienização dos alunos e dos utensílios de uso comum, recebimento e entrega das crianças aos pais ou responsáveis, organização dos materiais pedagógicos e equipamentos utilizados nas aulas e oficinas, acompanhamento de educandos em traslados, quando for o caso, e, de forma mais individualizada, cuidado aos alunos com necessidades de apoio nas atividades de higiene, alimentação e locomoção que exijam auxílio constante no cotidiano escolar.” (Edital do Concurso de 2016)

Não sei vocês, mas acho que somos MUITO IMPORTANTES para o andamento das atividades dentro das instituições. Então, por favor, se vocês têm contato conosco, tenham mais respeito, consideração e mesmo afeto. Aos colegas, mais consideração, por favor. Não nos confundam com servos. À SME, mais respeito, também somos profissionais, está passando da hora de termos oficialmente uma categoria adequada pois no momento somos meio administrativos, meio pedagógicos. Às famílias, afeto, nós passamos muito tempo com as crianças e nosso carinho e cuidado com elas é real.

LUTA PELO RETROATIVO DO VALE TRANSPORTE

1 COMENTÁRIO

  1. Acho válido que o Passa seja um canal pra indignação e relatos dos trabalhadores; mas esse tipo de texto não traz contribuição alguma, sinceramente.
    É válido ter mais cuidado após o texto da livraria cultura, para que o site não caia numa espécie de ouvidoria do subsolo; que os relatos sejam ricos, e não somente um chamado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here