Dois poemas para o fim do inverno

Dois poemas para o fim do inverno

em 27 set

Poema fácil. Herança difícil. Poeta em Buenos Aires

O poema fácil

O poema fácil: ele se parece a uma caixa.
Abra-o.
Purpurina? Confete? Peças de Damas?
Não. Um revólver.
Como foi que tomei esta decisão?
É 1969.
Poema fácil. Herança difícil.

espírito de época

dizia ele que sua presença lá era a prova
de que o negro também podia,
o pobre saído da quebrada
com sua oportunidade, haveria de dar certo.
E citava a professora e seu livro.
Nalgum lugar envergonhada
longe daquela gala de formatura,
pensava a professora
nos estranhos produtos
das universidades de hoje
(suas mãos intelectuais sujas!)
– a típica marxista acadêmica
que em prosa criticava o liberalismo
e a ideia de que nas escolas
os alunos pobres falham na chance
que as instituições públicas de educação
lhes garantia.


Comentários 1

    • ulisses

      |

      set 28, 2017

      |

      NO VERÃO
      verei verás verá VEREMOS vereis VERÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Passa Palavra


Copyleft © 2017 Passa Palavra

Atualizações RSS
ou Email