Nós, Mães de Maio, familiares e [email protected] de vítimas do Estado Brasileiro, queremos aqui registrar nosso total apoio ao companheiro italiano Cesare Battisti, preso político no Brasil há anos por causa da sanha reacionária de ultra-direitistas que aparelham o estado por aqui, pela Itália e por tantas outras partes do mundo. Se eles agem tão articuladamente, apenas com a nossa solidariedade nacional e internacional poderemos vencê-los, e conseguir ao menos diminuir as injustiças e barbaridades cometidas repetidamente por eles.

Nós sabemos muito bem o quê está por trás desta tentativa articulada de transformar um escritor e revolucionário autonomista italiano num “monstro terrorista internacional”. Sabemos as razões de tantas vozes aqui no Brasil ecoarem esta estratégia. Ainda assim, no dia 31 de dezembro de 2010, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, no uso de suas atribuições constitucionais, decidiu negar a extradição do preso político Cesare Battisti. Porém, aqueles setores conservadores e subservientes a interesses estranhos aos da nação tentam artificializar e instrumentalizar a decisão soberana do governo brasileiro neste caso.

Estamos cientes de que a manutenção da prisão do Cesare, por uma vontade arbitrária do Supremo Tribunal Federal, representa um sério ataque não só a bandeiras históricas da lutas dos trabalhadores, como a defesa da soberania nacional e a autodeterminação dos povos, mais também aos mais elementares princípios democráticos do país, como o da divisão dos três poderes e os direitos da pessoa humana.

Por isso, nós, Mães de Maio da democracia brasileira, seguimos declarando nosso total apoio à decisão de não se extraditar Cesare Battisti, e exigimos que a decisão do então Presidente da República seja respeitada e tomada as devidas providências no sentido da sua imediata soltura.

Chega de tortura e sofrimento!

Vamos fortalecer a solidariedade internacional!

Mães de Maio: Santos, 22 de fevereiro de 2011

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here