Por Um Colaborador

Vários colaboradores queixam-se do mesmo e alguns até com medo de serem despedidos, de serem prejudicados e de ficarem estagnados, falaram com o Departamento de Service Office, chegaram a falar com o Sr. Cláudio Valente e chegaram a escrever ao CEO da Ikea de Portugal, Jesper Brodin, e o que queriam era sempre calar os colaboradores.

Mas a seita montada na Ikea não quer ajudar ou se preocupa com o que direções, management e chefias fazem de mal aos colaboradores. O lema para negarem tudo é dizerem que têm total confiança na sua equipa de topo.

O esquema é culpar o colaborador, abafar tudo o que se diz, desmentir e fazer de tudo para que saiam da Ikea.

Eu ainda trabalho na Ikea por necessidade, mas não me sinto bem e tenho de ter cuidado, não posso discordar de nenhuma decisão, tenho de estar sempre bem e vivo em pânico, num verdadeiro horror.

Os casos são muitos que sucederam e sucedem na Ikea, mas a seita onde os vários grupos detêm poderes dentro da empresa, tudo fazem para controlar os colaboradores e chegam a usar métodos nada legais.

O meu grande amigo trabalhou na Prosegur e ele mesmo dizia: cuidado com o que falas e com quem falas, eles vigiam os colaboradores e mesmo os clientes.

Está tudo relacionado com os chefes de segurança, que até chegaram através de câmaras a agilizar esquemas e depois levam o colaborador e ele que assine a carta de despedimento. Obtêm informações através de conhecimentos até com autoridades.

Acreditem que a Ikea vai dizer sempre que é mentira, que são a melhor empresa e que se preocupam muito com os colaboradores.

O que se preocupam sempre é em saber quem não está contente, não em perceber as causas e atuar em situações que ocorrem como bulling por parte de chefias, intimidação, ameaças e perseguições.

Posso contar que o meu chefe de restaurante chegou várias vezes a me gritar, insultar e tive várias crises de choro e pânico. Fui ao departamento de People and culture e nada fizeram; até chegam a premiar os responsáveis com promoções, projetos e afins, mesmo sabendo destas situações.

Vários colegas também sofreram assédios de chefias que os tratam de forma diferenciada, dizem o que querem, diminuem-nos, inferiorizam-nos e nas suas costas gozam.

Colaboradores são reprimidos, pois sabem que se comentarem alguma coisa estão marcados e fala-se que existe uma lista com nomes dos menos desejados.

Atuam se falares com penalizações e torturando o colaborador.

Existe um grande desgaste a nível psicológico e mental nos vários departamentos, que funcionam como uma seita, têm os seus informadores que estão ali para depois ir contar às chefias o que se passou, o que ouviram.

O tratamento diferenciado nos horários; na seleção duvidosa para subidas de cargos, vigilância; não te ajudarem para que não consigas; desde a forma de falar agressiva, desde te ameaçarem com pressões para saíres sem os teus direitos.

Os departamentos de Vendas, Apoio ao cliente, caixas, Logística e Ikea Food com chefias que gozam com tudo, que te acusam, que mostram mesmo diferenciação de tratamento e te levam a que a tua saúde seja afetada, pois andas sempre com stress, vives de pânico, tens depressões, tens dores causadas por tudo isto.

Vários colaboradores sofriam com chefes que lhes levantavam a voz, impunham as suas ideias e quem não concordasse era humilhado. Em Vendas era o Chefe de Departamento e em logística vários team leader eram mal educados ou mal educadas e gozavam.

Relacionamentos e chefes que se metiam com colaboradores.

Customer Relation e Business pessimamente geridos e jogos de interesse onde tratavam mal colaboradores.

Na Ikea esta seita funciona através do controlo total; criam redes de conexões onde discutem o que fazer com o colaborador X e onde colocam nos lugares ao seu redor os seus seguidores, que são os ouvidos deles.

A tortura emocional que fazem contra os colaboradores e a discriminação disfarçada.

Até nos sindicatos a Ikea reprime e criou uma imagem falsa e bélica “para inglês ver”.

Aconselharam-me a sindicalizar, depois tudo de forma escondida soube que existia uma delegada sindical que está nesta seita, pois nenhum sindicato entra na Ikea, apenas existe esta figura que tem uma aliança com as direções e não apoia os colaboradores.

Os colaboradores não podem ter VOZ.

As imagens que ilustram o artigo são fotografias de esculturas de Carl Milles.

6 COMENTÁRIOS

  1. Em tom de murmúrio suplicante, alguém que aceita o rótulo de colaborador relata seus infortúnios.
    Sobrevivência miserável é a vida de quem optou pela servidão voluntária.

  2. É mau trabalhar na ikea fazem de tudo para te prejudicar se não pertences ao grupos criados
    Mau chefes, assedio, chefes que perseguem .
    A ikea tenta vigiar a todo o custo e nega sempre tudo
    passa uma imagem errada do que é

  3. TRIPALIUM
    contumaz é quem senta e aceita
    choraminga e deita
    supino/pronado
    serial & fractalizado
    animal de rebanho
    TEM RAZÃO QUEM SE REVOLTA

  4. mpresa que esgota os colaboradosre e os leva à exaustão

    Logistica

    Exigem muito em termos físicos e psicologicos, mas esta pressão não é para todos os colaboradores, uns são os preferidos onde até já lhe prometeram uma subida.
    Para nos safarmos temos de aprender a dizer que sim, rir, concordar e não falar muito, sobrevivemos numa desorganização total e onde a direcção e chefias são tendenciosas e protegem os amigos dos amigos.
    A cultura do Ikea é uma farsa e o ambiente de trabalho é de tens de fazer o que eu digo, pois eu é que mando, mandão.
    Existe um grande desgaste emocional.
    Falta de liderança, muitos team leader, não sabem o que estão a fazer. Sobem team leader e mais team leader em vez de ter mais colaboradores que realmente trabalhem.
    Pouca formação, pouco acompanhamento e cada um que se desenrasque, mas os team leaders depois armam-se em bons e reclamam com os colaboradores, eles que deêm o exemplo. Pois existe muito a falar sobre cunhas, relacionamentos, falta de isenção nas decisões, etc.
    O grande problema é colocarem chefes e teams leaders sem caracter à frente da loja.
    A ikea comete várias infracções e depois pedem para assinarmos relatórios de horas, formações, etc.

  5. Conflito de interesses e relacionamentos

    Uns foram obrigados a acatar as ordens do Ikea e não podem ter relacionamentos no mesmo sector; não podem ter familiares e até chegam a muda-los de loja, pois a ikea diz não ser compatíveis e vai contra as normas da empresa.
    Mas como os abusos e os grupos começaram acrescer então a Ikea têm de proteger a sua família, envolvimentos mesmo sendo casados e outros casos de assédio e assim já tudo é permitido no Ikea.
    Casos como Service Office onde grupos que está há anos a enriquecer e a subir para novos cargos criados à medida, grandes incompetências Hr Manager, People and Culture, Country talent development manager depois criaram os Project manager; Plan Order Point; Sales Performance, etc e depois criam ainda mais cargos para os que não querem nas Lojas, mas estão salvaguardados Country Food Manager; Country Fulfilment; Country Digital; etc, cargos e mais cargos de uma multidão de pessoas em Service Office só a beneficiar da Ikea.
    António M. a enriquecer e à sua família; Pedro e as direcções o maior abuso com tudo pago pela Ikea e a sua família também e depoisde uns anos deixam a direcção e já têm um cargo prometido para ficarem a fazer nada na ikea, mas a ganharem bem.
    Dos relacionamentos uns têm os maridos e mulheres na IKEA na mesma loja e onde nalguns sectores existem conflitos de interesses, fugas de informação, estão a ser beneficiados.
    Depois existe o caso de muitas como a Project Manager que já foi acting Store Manager e os relacionamentos eram constantes e tanto ela como várias teams laeders das lojas tinham envolvimentos com colaboradores e até seguranças, onde violavam o código de conduta e de etica.
    Durante a sua hora de trabalho estão ao telemóvel, chegam a fazer convites aos colaboradore. Durante a hora de trabalho estão no namoro a darem conversa a quem andam envolvidas, a estar ao telemóvel e tudo isto leva a muitas conversas onde não se têm confiança nestas chefias, pois se andam em relacionamentos alguns são comprometidos ou casados estão em incumprimento.
    As coisas são faladas, mas o Ikea nestes casos porque tem de proteger estas chefias finge desconhecer.

  6. Sou responsável no Ikea em Braga e estou no meu limite.
    Não vale a pena falar diretamente pois o departamento de People and Culture que se deveria preocupar com as pessoa, deveria de as proteger faz exatamente o oposto, até me disseram que muitos gostariam de estar no meu lugar e se não estamos contentes podemos sair.
    Não são formas de tratar as pessoas, mas isto é exatamente o que o Ikea faz.
    Tenho sofrido várias pressões e até algum assédio com comentários depreciativos e ofensivos, por parte da direção e outros responsáveis que tentam ridicularizar-me.
    Ao contrário das outras lojas onde existe um responsável depois ainda têm um ou vários team leader e ainda têm não sei quantos front liners, em Braga não é assim.
    Então que tratamento diferencial é este? Numas lojas somos sujeitas a acumular várias funções, não temos as mínimas condições para trabalhar pois como tudo é reduzido em termos de horas somos sujeitas a sermos nós as responsáveis a ficar por vezes mais horas para fazer o trabalho.
    Soube através de uma amiga que é de Lisboa que nalgumas lojas os colaboradores são tantos que fazem muito do trabalho dos Team Leaders, ficam a fazer trabalho de reconciliação e depois têm muitos front liners que não se justifica pois as caixas são automáticas e estes ficam sentados a tratar de papelada e depois noutras lojas como em Braga estamos abaixo dos mínimos.
    O que o Ikea faz é um tratamento desigual, ou todos os responsáveis têm vários team leaders e acabam com os front tiner e coloca-se mais colaboradores para estarem mais disponíveis e também não tanto sobrecarregados nas caixas ou então todas as lojas têm de ser iguais. Noutras lojas têm o responsável de secção e equipas com menos de 15 colaboradores e ainda têm 1 team leader e noutras secções um pouco maiores t~em o responsável e 2 ou mais team leders.
    Tenho sofrido muita carga de trabalho e o ambiente não é o melhore muito prejudicial para a nossa saúde física e mental.
    Que a Ikea tome ações e melhore a vida das suas pessoas, direcções que precisam urgente ser mudadas e Responsável de People and Culture devem sair.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here